Voltar para o dicionário

Atenção primária

Um nome tão sem graça para algo tão importante. Quando escutamos a palavra “primária”, a tendência é relacioná-la a algo elementar, superficial, mas a Atenção Primária à Saúde promove justamente o oposto. Como assim? Já vamos te explicar. 

A Atenção Primária, ou Primary Care, é o primeiro serviço que uma pessoa procura quando precisa de assistência à saúde. Funciona assim: quando ela precisa de um médico, já tem à disposição um profissional de referência que a conhece. Esse profissional tem conhecimentos amplos, ou seja, entende o funcionamento de um corpo por completo e promove cuidado integral. Isso evita, então, que a pessoa seja vista por partes ou membros isolados, de forma fragmentada {tipo um Frankenstein}.

Mas se engana quem pensa que a Atenção Primária se limita a um primeiro contato. Pois é, uma de suas principais bases é o cuidado contínuo. O que isso quer dizer? Que um mesmo médico, ou time de profissionais de saúde, acompanhará sempre a pessoa {na saúde de na doença}, coordenando todo o seu cuidado. O que se busca é a promoção da saúde, e não apenas o tratamento de doenças. 

Interessante, né? Quer saber mais? Então continua lendo. :)

Perguntas Frequentes:

1.  Não sei se entendi direito, pode resumir?

Sim, aqui vai um resumão com quatro dos principais pilares da Atenção Primária. Dá uma olhada:

Longitudinalidade. Em vez de ser atendido cada hora por um médico diferente quando fica doente, com a Atenção Primária você tem cuidados regulares e constantes realizados por um mesmo time que te acompanha ao longo da vida e estabelece uma relação de confiança com você.

Integralidade. Seu time de saúde te enxerga como um todo e estabelece relações entre as partes do seu corpo, seu histórico de saúde, seus hábitos de vida etc. Acaba funcionando melhor do que apenas buscar especialistas quando você tem uma doença em alguma parte do corpo {afinal, nosso corpo é todo interligado}. 

Coordenação. Tudo está conectado. O seu médico ou time de saúde, além resolver seu problema sempre que for possível, funciona como uma espécie de maestro da sua saúde: orienta seus passos e te encaminha para especialistas, hospitais e laboratórios quando é preciso {chega de inventar da cabeça o que é preciso fazer para resolver alguma queixa}. Por isso, ele acaba atuando como um centro de comunicação entre todas as partes.

Resolubilidade. Seu médico ou time de saúde é capaz de resolver 80 a 85% dos seus problemas de saúde, de acordo com uma estimativa da ANS (Agência Nacional de Saúde Complementar). Tudo isso? Exatamente. E se você tiver algo mais complicado, eles vão te encaminhar ao especialista e manter contato com ele para que, juntos, decidam a melhor conduta para o seu caso.

2. Por que a Atenção Primária funciona melhor que outros modelos de saúde?

Vamos lá. A Atenção Primária à Saúde é uma forma muito eficaz de cuidar dos principais problemas de saúde que as pessoas apresentam. Esse modelo de cuidado acaba funcionando melhor do que aquele baseado apenas em especialistas, laboratórios e hospitais desconectados. Por quê? Por vários motivos.

Em primeiro lugar, porque um mesmo médico ou time de saúde acompanha e organiza o cuidado de uma pessoa ao longo de sua vida, o que proporciona vínculo e um atendimento mais humanizado. Em segundo lugar, em vez de ir direto a um especialista desconhecido que imagina ser o mais indicado, a pessoa procura seu time de Atenção Primária, que tem condições de resolver de 80 a 85% dos casos. Quando não é possível resolver, ela é encaminhada ao especialista mais indicado e não fica pipocando de médico em médico

Esse tipo de cuidado também não vai se basear apenas no tratamento das doenças quando elas aparecerem. A Atenção Primária engloba todas essas ações: promoção e manutenção de saúde (corpo, mente, alimentação, estilo de vida etc), prevenção (vacinas, exames, pressão, glicemia, mudar hábitos etc), diagnóstico e tratamento de eventuais problemas de saúde que possam aparecer (pressão alta, diabetes, asma, dor) .   

Além disso, a Atenção Primária é benéfica para órgãos e empresas provedoras de saúde por otimizar o uso dos recursos do sistema, evitando que a pessoa fique peregrinando por ele, fazendo exames e procedimentos desnecessários, muitas vezes até repetidos ou redundantes. Isso gera menos desperdício de recursos, o que permite mais qualidade para um maior número de pessoas. 

3.  Tá, se a Atenção Primária é tão legal, por que eu nunca ouvi falar nela? Onde posso  encontrá-la?

Se você nunca ouviu falar em Atenção Primária à Saúde isso se deve provavelmente ao fato de o Brasil, historicamente, ter concentrado seus esforços  em construir hospitais e prontos-socorros e em formar bons especialistas. Apenas com a criação do SUS, em 1988, passou-se a oferecer serviços de Atenção Primária nos atendimentos dos médicos de família e comunidade, mas ainda há ainda certa resistência do sistema privado de saúde em investir nesse modelo.

Isso corre por conta de uma cultura que tende a valorizar apenas o médico especialista. Muitos países desenvolvidos na Europa priorizam o modelo de Atenção Primária, e ela também é recomendada pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Mas por aqui infelizmente muita gente ainda acredita que o cuidado de qualidade só pode ser realizado pelo médico especialista {o que já te mostramos que não é verdade, né?}. 

Felizmente, essa cultura tem mudado nos últimos anos. Hospitais de ponta, como o Albert Einstein e o Sírio-Libanês já oferecem serviços de Atenção Primária para algumas empresas. Hoje em dia também há algumas empresas de saúde oferecendo serviços de primary care. Na Alice, você tem tudo isso com seu Time de Saúde. No fim deste texto, você encontra mais informações sobre como a gente trabalha. ;)  

4.  Então quer dizer que não é bom ir ao especialista?

Epa, espera aí, não é bem isso que estamos dizendo. Os médicos especialistas são importantíssimos para casos mais complexos, que requerem, justamente, uma especialização. Há casos que o time de Atenção Primária não vai conseguir resolver sozinho. Se você tiver uma diabetes de difícil controle, por exemplo, vai precisar de um endocrinologista. 

Mas o mais indicado é que consulte primeiro seu médico ou time de Atenção Primária, que vai entender melhor o que você tem, te encaminhar ao especialista adequado e acompanhar todo o processo junto com ele. A verdade é que a gente acha que sabe qual é o melhor especialista para o nosso caso, mas nem sempre acerta.

5. Ok, na teoria parece bonito, mas como tudo isso funciona na prática?

Ótimo, adoramos exemplos práticos. Imagine que você está sentindo palpitações recorrentes no coração e que esse sintoma esteja sendo causado por três problemas de saúde que estão associados: pressão alta, um problema de tireóide e ansiedade. 

Sem a Atenção Primária, a tendência é que você procure o especialista que acredita ser o mais indicado e talvez vá a um cardiologista, faça uma série de exames e não encontre nada de anormal. Então você decide ir a mais dois especialistas: um endocrinologista e um psiquiatra. Pode acabar fazendo novos exames, alguns repetidos, e tomando uma série de medicamentos que não funcionam tão bem administrados juntos. E pior, o problema pode não ser totalmente solucionado e voltar a te incomodar. 

Com a Atenção Primária, você vai  a uma consulta com um profissional que já conhece o seu histórico e vai ter ver como um todo, de forma integral, associando os seus três problemas. A partir daí, vai buscar a causa raiz do sintoma, que pode ser, por exemplo, a ansiedade, associada ao estresse e aos seus hábitos de vida. Ele então vai pensar num tratamento que cuide da raiz do problema. Você fará menos exames e talvez não precise tomar remédio a vida toda. Concorda que você resolve de forma mais rápida e eficiente? 

Agora, claro, se ele suspeita que você pode ter uma arritmia cardíaca muito específica, vai te encaminhar ao cardiologista e acompanhar seu tratamento com esse outro profissional.  

6. Na Atenção Primária eu vou ser atendido por um clínico geral?

A base do time de Atenção Primária é um profissional de medicina que entende o funcionamento do corpo humano de forma ampla e global. Na verdade, essa função geralmente é desempenhada por um médico com especialização em medicina de família e comunidade, profissional que presta assistência de forma continuada e integral, no âmbito individual ou familiar, acompanhando pessoas ao longo de suas vidas. Uma equipe de atenção primária também costuma contar com um enfermeiro especializado em saúde da família ou generalista e mais algum profissional de saúde de nível superior. 

7. O que eu devo esperar de uma consulta de Atenção Primária?

Um atendimento sem pressa e completo. O médico antes de qualquer coisa te ouve com atenção para entender você e seu problema. O objetivo é já resolver o seu problema na Atenção Primária, o que ocorre na grande maioria das ocasiões. {E com ela você ganha um médico para chamar de seu.}

A partir dessa consulta, o seu médico pode pedir alguns exames ou, se for preciso, te encaminhar a um especialista. Em seguida, você volta a ver o seu médico, que vai checar seus exames, definir a melhor conduta para seu caso ou dar prosseguimento ao tratamento indicado pelo especialista.  

8. E se eu tiver uma urgência, não devo ir direto ao pronto-socorro?

Salvo casos de emergência, o ideal é que você utilize sempre os serviços de Atenção Primária. Os profissionais que cuidam de você vão saber avaliar se o seu problema pode ser resolvido por eles, se você precisa de um especialista ou ir para um hospital. 

Claro que se você tiver um caso de emergência deve ir diretamente ao pronto-socorro. Mas é importante dizer que boa parte dos atendimentos do pronto-socorro não são emergenciais: muita gente recorre a esse local porque tem uma necessidade de saúde momentânea e não sabe quem procurar. A Atenção Primária é capaz de resolver uma parte considerável desses casos.  

Lembre-se que o pronto-socorro é um ambiente estressante e, muitas vezes, contaminado. Por isso, utilize esse serviço só quando for realmente necessário. Seu médico ou time de saúde podem te ajudar a tomar essa decisão {especialmente se eles puderem ser facilmente acessados por um app, como te mostramos no fim do texto}.

9. Se existe atendimento primário, também existem o secundário e o terciário?

Sim. Todo cuidado começa com o atendimento primário e, se necessário, avança para o secundário e terciário. O atendimento secundário é formado por clínicas e ambulatórios destinados a fornecer atendimento mais especializado, como cardiologia, neurologia, oftalmologia, entre outros. Já o atendimento terciário ocorre em hospitais e é composto por internações e serviços de alta complexidade, como cirurgias e exames que exijam alto nível de tecnologia e estrutura.

Alice e a Atenção Primária à Saúde

A Alice trabalha com Atenção Primária à Saúde?

Sim! Mais do que isso: na Alice, ela o centro de tudo, nossa base. Pois é, sempre que você ler   ou ouvir a gente dizendo Time de Saúde, saiba que estamos falando justamente dela: da Atenção Primária à Saúde.

E como é isso na Alice?

Na prática, assim que você se torna um membro Alice, o primeiro passo é fazer sua imersão para conhecer seu Time de Saúde olho no olho. É esse time que vai cuidar de você, te ajudar a atingir seus objetivos de vida e estar sempre lá {pro que der e vier}.

A partir daí, você tem acesso ao seu time pelo app e também na Casa Alice, onde poderão ser  feitas consultas e alguns procedimentos. Dessa forma, seu time é capaz de te ajudar na prevenção de doenças, diagnosticar precocemente um problema, tratar as doenças que você possa vir a apresentar e, se for necessário, te encaminhar ao especialista ou ao hospital se for o caso.

Lembrando que nossa comunidade conta com excelentes especialistas e hospitais de ponta integrados ao nosso sistema digital. Isso significa que tudo relacionado à sua saúde vai estar disponível para você e seu Time de Saúde pelo app {chega de repetir a mesma história a cada atendimento!}.

Mas e se eu quiser ir direto ao especialista sem passar pelo meu time?

Na Alice, você é livre para fazer o que quiser. Se preferir ir direto aos especialista da nossa comunidade, você pode, mas pagará um percentual de coparticipação pelo atendimento. Já se passar antes pelo seu Time de Saúde e ele te encaminhar, não paga nada. Trabalhamos dessa forma porque queremos muito que você esteja sempre em contato com seu Time de Saúde. Realmente acreditamos que assim conseguiremos cuidar da sua saúde de forma mais eficaz e humana.   

Qual o diferencial da Alice no quesito Atenção Primária?

São vários. Vamos fazer uma lista {somos loucos por listas}:

1. Em primeiro lugar, a Alice já nasceu como Atenção Primária e só isso já é um grande diferencial, dado que hoje ela é ainda pouco aproveitada no sistema privado de saúde. 

2. Existem algumas empresas que oferecem apenas serviços de Primary Care (Atenção Primária), já na Alice, você tem Atenção Primária (Time de Saúde) + os benefícios normais de um Plano de Saúde (rede credenciada: especialistas, laboratórios e hospitais).

3. Na Alice, você tem acesso ao seu time pelo nosso app. Você conversa com um profissional de saúde {de carne e osso} que te orienta e muitas vezes já resolve o seu problema sem você precisar sair de casa. Ah, e no nosso app você fala com quem já te conhece, e não cada hora por um profissional diferente.

4. A Alice investe muito em tecnologia. O sistema é todo coordenado com ajuda dela. Se você for a um hospital, a um especialista ou coletar exames na nossa rede credenciada, o seu time acompanhará tudo pelo sistema da Alice.

5. No app da Alice você tem acesso a todo conteúdo da sua saúde (histórico, exames etc) e do seu Plano de Ação (o passo a passo do que você precisa fazer de acordo com seus objetivos), de modo muito organizado e claro. 

Bom, é só {tudo} isso. Viu só? Alice está aqui para cuidar de você integralmente e te fazer cada dia mais saudável.