Voltar para o dicionário

Cobertura Parcial Temporária (CPT)

Indo direto ao ponto, Cobertura Parcial Temporária (CPT) é o período em que ocorre uma restrição na cobertura do plano de saúde para o caso de Doenças ou Lesões Preexistentes (DLP). É um conceito que impacta o acesso do usuário aos serviços do plano de saúde, por isso, é muito importante que seja muito bem explicado.

Tudo começa no início do processo de contratação. Para contratar um plano de saúde, você precisa preencher uma "Declaração de Saúde". É um questionário no qual deve informar se possui algum problema de saúde  já diagnosticado –  ou seja, as tais Doenças ou Lesões Preexistentes (DLP). Dúvidas? Clica aqui que explicamos melhor sobre elas.

Dicionário de siglas para você entender o texto sem problemas:

DLP: Doenças ou Lesões Preexistentes

CTP: Cobertura Parcial Temporária

ANS: Agência Nacional de Saúde Suplementar

CTI (Centro de Terapia Intensiva)

UTI (Unidade de Terapia Intensiva)

Como funciona em geral?

Tenho uma DLP e já declarei na "Declaração de Saúde" e agora?

Tá, você tem uma DLP e quer saber como funciona. Nesse caso, seu plano de saúde pode aplicar a Cobertura Parcial Temporária (CPT), um prazo no qual existem restrições de cobertura para realizar alguns serviços (procedimentos de alta complexidade, cirurgias e utilização de leitos de alta tecnologia) que estejam relacionados diretamente às DLP. Lembrando que essas restrições só valem para doenças diagnosticadas antes da contratação do plano. 

 Então carência e CPT são a mesma coisa?

Não. Parece igual, mas é bem diferente. Carência é o período que você deve esperar para poder utilizar alguns serviços do plano de saúde após a sua contratação. É mais ou menos assim: você paga as mensalidades, mas precisa aguardar para ter acesso a certos procedimentos. 

Já a CPT está associada apenas às Doenças ou Lesões Preexistentes, ou seja, aos problemas de saúde que você possuía antes da contratação do seu plano. Depois de informar essas condições por meio da Declaração de Saúde e assinar o contrato, caso a operadora ofereça CPT, você não poderá utilizar alguns serviços (cirurgias, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta complexidade) relacionados diretamente a essas condições durante o período de até 24 meses. 

 Quanto tempo dura a CPT?

Tudo que começa tem um fim. No caso da CPT, o limite máximo é de até 24 meses (2 anos), a partir da assinatura do seu contrato. Anota aí, estamos falando de um período máximo, alguns planos podem oferecer prazos de CPT mais curtos. Fique de olho na hora de assinar o seu contrato.

Detalhe importante: as cirurgias, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta complexidade que não estejam relacionados à sua DLP seguem a regra do período padrão de carência (aquele que vale para todo mundo, lembra? Não? Então dá uma lida aqui).  

Existe algum jeito de eu ficar isento desse prazo de 24 meses da CPT?

Sim, existem duas formas. A primeira é se você for usuário de um plano coletivo empresarial com 30 participantes ou mais (aqueles contratados pelas empresas para atender à saúde dos seus funcionários). Nesse caso, a operadora não pode aplicar a CPT se você for incluído no plano no prazo de 30 dias da assinatura do contrato coletivo empresarial ou da sua vinculação à empresa contratante. 

A segunda maneira é quando a operadora oferece o que no mundo da saúde chamamos de "agravo", uma opção para cobrir os procedimentos relacionados à DLP.

 Agravo? O que é isso?

O agravo é um acréscimo no valor da mensalidade, aplicável como alternativa à CPT,  para que uma pessoa tenha acesso integral à cobertura do plano de saúde contratado para a DLP declarada ou detectada na assinatura do plano. Isso significa que, ao optar pelo agravo, você não será submetido à CPT.

Os valores e o prazo do agravo são estabelecidos entre a operadora e o consumidor, devendo estar tudo muito bem explicado em um aditivo contratual específico. Mas atenção: o agravo é opcional. Se a operadora não quiser, ela não é obrigada a oferecer ao seus clientes. 

Mas as operadoras de saúde podem se negar a incluir portadores de DLP em seus planos?

Não. Caso a pessoa elegível  possua alguma DLP, a operadora não pode recusar a sua entrada no plano. 

Entendi, mas se eu quiser mudar de plano no meio do cumprimento de período de CPT?
Caso deseje mudar para um plano de outra empresa, valem as regras de portabilidade de carência (quer entender todas, acessa esse link aqui). Então, para realizar a portabilidade pela primeira vez, você precisa estar no plano de origem há pelo menos três anos e cumprir as demais regras de portabilidade. Depois desse período, pode mudar de plano sem precisar cumprir novo prazo de CPT. 

Já se você desejar mudar de plano dentro da mesma empresa (operadora) há duas formas de fazer isso. A primeira é também pedir portabilidade; porém, nesse caso, precisará atender aos requisitos citados acima. Caso não atenda tais requisitos, para não cumprir CPT novamente, deverá pedir substituição. 

A segunda forma de mudar de plano dentro da mesma empresa é solicitar substituição. Nesse caso, se mudar para um novo plano da mesma segmentação do anterior, tendo permanecido no primeiro plano por no mínimo 2 anos, sem interrupção, a empresa não pode pedir que você preencha uma nova Declaração de Saúde e nem aplicar a CPT novamente. 

Se você tiver menos de 2 anos no primeiro plano, a operadora pode te pedir para preencher uma nova Declaração de Saúde, mas não existe uma regra clara sobre o que acontece com a CPT, embora na maioria dos casos a ANS entenda que não é preciso cumprir novamente a CPT.

Como funciona na Alice?

Na Alice nós também trabalhamos com CPT
Quem faz parte da Alice e declara alguma doença preexistente, precisa esperar 24 meses para realizar procedimentos de alta complexidade, utilizar leitos de alta tecnologia – CTI e UTI – e realizar cirurgias relacionadas às DLPs.

Então qual a diferença? 

A forma como cuidamos de você durante esse período. Na Alice você nunca fica desamparado. Se a sua DLP for uma diabetes, por exemplo, na Alice, durante a CPT, você terá sempre ao seu lado um time inteiro de saúde. Estamos falando de profissionais que realmente vão te conhecer e que, por isso, saberão te orientar da melhor maneira, aconteça o que acontecer. 

Por meio do Alice Agora e de outros canais podemos, por exemplo, sugerir consultas com nutricionista (para que você tenha uma dieta balanceada), te lembrar de fazer um check-up ou te orientar sobre quando e onde marcar os exames periódicos necessários {só não te lembramos do aniversário dos amigos ou do dia de pagar a conta de luz}. 

Resumindo: nós não vamos ignorar sua condição por dois anos, ou melhor, nós nunca vamos te ignorar. Faremos de tudo para que você não se preocupe, te ajudando sempre dentro dos nossos limites. 

Parece óbvio, mas muita gente esquece: cuidar da prevenção é a forma mais eficaz de evitar complicações. Acompanhar sua DLP, por exemplo, pode evitar a necessidade de procedimentos mais complexos e delicados. E ninguém quer passar por isso, não é?

Por último, mas não menos Importante: na Alice não temos a opção do agravo em casos de DLP. Nosso objetivo é que todos na Alice tenham tratamento especial, pagando valores semelhantes. 

Além do mais, nosso sistema digital te permite acompanhar de perto seu prazo de CPT {prometemos fazer de tudo para que ele pareça mais rápido do que é}.  

Se você ficou com alguma dúvida sobre o que é Cobertura Parcial Temporária, ou quer falar de outro assunto, entre em contato conosco pelo link do whatsapp na página!

Quer ler um pouco mais à respeito? Dê uma olhada nos outros itens do nosso dicionário ou acesso o site da ANS que tem tudo explicado por lá.