Voltar para o dicionário

Código CID

Parece título de filme de ficção científica, não é? Mas a verdade é que existe uma lista internacional responsável por fornecer um código para cada doença existente no mundo. Isso mesmo, esse super manual se chama CID ou Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde. Essa classificação foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para atualizar e oficializar tudo o que é considerado doença pela ciência e pela medicina.
O objetivo da CID é, principalmente, padronizar a nomenclatura das doenças, permitindo uma comunicação efetiva entre profissionais de saúde de todo o planeta. Isso ajuda a evitar ambiguidades, que poderiam ser prejudiciais ao paciente e ao sistema de saúde. Outro propósito da CID é  rastrear a incidência e prevalência de doenças ao redor do mundo, além de manter os dados de mortalidade e de consequências atualizados.

Quem atualiza as informações da CID?

A OMS é responsável por realizar as atualizações e inclusões/exclusões de doenças nessa super enciclopédia de problemas de saúde.

1. Quem utiliza a CID?

Principalmente médicos, profissionais de saúde, pesquisadores, gestores em saúde, empresas e planos de saúde. Você também pode ter acesso, caso desejar, é só clicar aqui. Mas veja bem, não vá cair nessa do autodiagnóstico, heim? Somente profissionais de saúde podem diagnosticar e prescrever o melhor tratamento para o seu quadro.

2. Pode haver doenças não listadas na CID?

Isso pode acontecer, pois a medicina está em constante evolução. A comunidade médica costuma se reunir para definir possíveis mudanças e inclusões. A OMS publica atualizações menores uma vez por ano e maiores a cada três anos, mas de tempos em tempos também desenvolve uma nova edição da lista.

Atualmente, a CID está na sua 10ª edição, a CID-10, introduzida em 1992. Uma nova edição, a CID-11, foi lançada em 2018, mas a previsão é que ela entre em vigor em janeiro de 2022.

Um exemplo de atualização recente é o caso do vício em videogames. Até 2018, tal condição não era considerada doença. Como o número de casos tem aumentado e preocupado os especialistas, após muitos estudos, a OMS decidiu incluir a condição na CID-11, que poderá ser encontrada com o nome gaming disorder, algo como “transtorno por uso de videogames".

3. O que é levado em conta na hora de definir o que é uma doença?

Considera-se doença um conjunto de sinais e sintomas, perceptíveis ou não, que afetam um ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde.

4. Como os médicos e planos de saúde utilizam essas informações no dia a dia?

Como um dos objetivos da criação da CID foi a padronização, os médicos utilizam em seus prontuários ou diagnósticos os códigos estipulados por essa classificação internacional. Com isso, a comunicação entre médicos fica mais fácil.

Imagine uma pessoa com diabetes, cujo quadro prejudica a circulação periférica. Se ela é atendida por um especialista e precisa ser encaminhada a outro, os médicos vão identificar o seu diagnóstico particular com o seguinte código: CID 10 –  E10.5, que significa Diabetes mellitus insulino-dependente, com complicações circulatórias periféricas.

Desse modo, todos os médicos que pegarem os exames, prontuários ou qualquer documento médico saberão que a pessoa possui exatamente essa condição. Esse tipo de padronização facilita não só a comunicação, mas também evita possíveis interpretações diferentes de cada profissional.

5. Qual a relação da CID com os planos de saúde?

A partir do momento que uma doença é classificada na CID, o sistema de saúde e os planos de saúde precisam atualizar a disponibilidade de especialistas e exames para essa doença.

Vamos usar como exemplo o caso do vício em videogame. A doença foi incluída na CID há pouco tempo. Isso significa que, a partir de agora, se alguém é diagnosticado com ela, tem o direito de receber o tratamento adequado para a condição. No caso citado, pode ser encaminhado para acompanhamento com um médico psiquiatra, por exemplo.

A Alice utiliza a CID?

Sim, claro! Seguimos Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID), como manda o figurino.

Aqui na Alice, seu Time de Saúde e todo nosso sistema está interligado aos médicos especialistas parceiros e instituições de saúde de referência. E, claro, todos eles se comunicam entre si também utilizando a CID, esse “dicionário" da OMS com a padronização universal das doenças.

Mas nossa comunicação vai além do uso da CID: fazemos a gestão integrada dos seus dados médicos. Todo o seu histórico está sempre atualizado e disponível a nossa rede. Se você vai um médico especialista indicado por nós, por exemplo, ele terá acesso às informações necessárias para sua consulta {sim, temos uma super memória!}. O mesmo vale para idas ao Pronto Socorro, atendimentos na Casa Alice, exames realizados e até histórico de internações {chega de repetir a mesma história para todo mundo}.

Mais uma coisinha:

Ainda está valendo a CID-10, mas a Alice já tomou conhecimento das mudanças apresentadas na CID-11 e está se inteirando de todas elas. Assim que a OMS determinar a sua aplicação, já estaremos preparadíssimos  Consideramos as atualizações da CID super pertinentes e aguardamos {ansiosamente} sua nova versão entrar em vigor. ;)